O mutirão de limpeza realizado hoje (04) na Praia Brava, pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, resultou em sete sacos de 100 litros de resíduos que, se mantidos na areia da praia, acabariam provavelmente sendo arrastados para o mar, com risco de serem ingeridos por animais marinhos e causar prejuízos ao ecossistema. A ação, realizada por uma equipe de 12 pessoas, incluindo vários voluntários, abrange as trilhas, as areias e os costões rochosos. O objetivo é despoluir uma das praias que ainda mantém as características naturais preservadas e, por isso, ainda é um dos atrativos turísticos da cidade bastante visitados.
Embalagens plásticas, latinhas de alumínio, garrafas pet e pontas de cigarro são os resíduos mais comuns encontrados na região. “Trata-se de uma área de difícil acesso, onde não chegam os serviços de coleta tradicional”, explica o Secretário de Meio Ambiente, Marcel Giorgeti. “Por isso, achamos interessante esta ação, na companhia de voluntários”.
Meio Amb 2
Foto/divulgação: Equipe recolhe mais 50 quilos de lixo na praia
Com o desenvolvimento do turismo no Litoral Norte, observa-se o aumento do impacto da ação humana no meio ambiente, principalmente com relação aos resíduos deixados nos locais visitados.
Meio Amb 3
Cerca de 20 voluntários participaram do mutirão
A maior parte dos voluntários, conhecidos por “Defensores da Praia Brava e outras praias” já é veterana nas ações de limpeza. Atentos ao menor sinal de sujeira, passam retirando desde as latas de alumínio, até as bitucas de cigarro, pequenas, mas extremamente nocivas à fauna aquática e que chegam até cinco anos para se decompor completamente.
A Ação continua  
No domingo (05), a equipe deve voltar à praia para dar sequência ao trabalho. Dessa vez, a limpeza estará concentrada na região dos costões, onde o acesso é mais difícil, mas onde também há um grande acúmulo de resíduos. Para a equipe envolvida na ação, a limpeza é um ato de amor à natureza. E o secretário Marcel Giorgeti acrescenta: “A Praia Brava é uma praia isolada, não abandonada!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *