Projeto prevê investimentos de R$ 42 milhões em obras e serviços

O prefeito de Ilhabela, Márcio Tenório, acompanhado da secretária de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, Léia Roefero, protocolou na manhã da última terça-feira (7), no departamento de Licitação da Prefeitura, o pacote de obras que agora segue para o processo licitatório.

A gestão investirá por volta de R$ 42 milhões em projetos que beneficiarão bairros, a estrada de Castelhanos e o Paço Municipal. O novo pacote de investimentos contempla, ainda, o correto descarte dos resíduos da construção civil.

De acordo com a secretária, serão realizados trabalhos de drenagem (profunda e superficial) de água pluvial, pavimentação e calçadas nos bairros Água Branca, Itaquanduba, Reino e Perequê. Outros bairros estão em estudo para serem contemplados, como a Cocaia, Piúva, Ilhote e Portinho.

Reparos

Também serão realizados serviços de reparos na estrada de Castelhanos, finalizando os pontos mapeados pela Defesa Civil, com sistema de contenção já aprovado pelo Parque Estadual de Ilhabela e utilizado nos outros pontos que restituíram a via após as chuvas de fevereiro. Esse sistema de contenção é composto por estabilização de encosta com utilização de solo vegetal ensacado e compactado, preso ao terreno com revestimento em tela em material sustentável.

Ainda será feita a readequação do prédio da Prefeitura, para conforto de usabilidade do imóvel e conforto térmico dos funcionários do Paço e população atendida no local e controle da iluminação dos ambientes.

Os projetos de pavimentação preveem a execução do projeto Executivo e todos os estudos necessários, como topografia, resistência do solo e estudo hidrológico (influência da ação da água pluvial), na Água Branca, Reino e Itaquanduba.

Outra novidade no processo de contratação é que a secretaria colocou no termo de referência dessas obras, que compete à cada empresa contratada fazer a correta disposição dos resíduos gerados nas obras, o RCC (Resíduo da Construção Civil), em locais certificados pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), para não impactar o aterro sanitário.

O RCC, comumente chamado de “entulho”, são resíduos gerados em atividades de construção, reformas e demolições de obras de construção civil, além dos resíduos resultantes da preparação e da escavação de terrenos, como tijolos, blocos cerâmicos, concreto em geral, solos, rochas, azulejos, metais, resinas, colas, tintas, madeiras de compensados, forros, argamassas, gessos, telhas, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiações elétricas etc.

Essa diretriz será adotada para todas as próximas obras; um instrumento de gestão que busca eficiência e facilite a execução de fiscalização das obras.

Empenho

A secretária destacou o empenho dos servidores de sua pasta. “O time da secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação tem ampla dedicação ao trabalho em consolidar o plano de governo do nosso prefeito. O foco está nesse sentido, pertencer à gestão Márcio Tenório e executar essa missão social, ou seja, atuar no serviço público para melhorar a vida das pessoas.

O prefeito, por sua vez, explicou a iniciativa. “Essas ações vão melhorar a qualidade de vida de nossa população nos bairros. Estamos honrando o compromisso de levar a riqueza além do centro da cidade”, declarou Tenório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *