Emocionada, Maria de Fátima Gomes, mãe do reeducando Cássio, só conseguiu pronunciar duas palavras: felicidade e esperança. Sentimentos de um futuro melhor e renovação de vida marcaram a cerimônia de conclusão do curso de Pedreiro Assentador, realizada nesta quarta-feira (15/05), no Centro de Detenção Provisória de Caraguatatuba (CDP).

Promovido pelo Fundo Social de Solidariedade de Caraguatatuba, para 15 reeducandos do CDP de Caraguatatuba, o curso em parceria com o Senai teve duração de três meses e ensinou por meio de uma profissão, que todo mundo é capaz, basta ter dedicação.

Os alunos aprenderam sobre estrutura e alvenaria; planejamento; orçamento; segurança do trabalho; meio ambiente; qualidade; matemática; aglomerantes; agregados; concreto; impermeabilização; formas; armaduras; fundação e lajes pré-moldadas.

Nas aulas práticas, construíram no local uma estrutura de imóvel de tijolos de vedação e blocos estruturais. Cada um desenhou a planta do imóvel que gostaria de ter, como conteúdo da aula de desenho técnico. As aulas foram monitoradas pelo instrutor de ensino do Senai, Wellington de Souza.

Para o reeducando formado Adriano, de 48 anos, a oportunidade foi uma perspectiva de futuro. “Agora posso voltar a sonhar e acreditar em uma nova vida. Por uma besteira parei aqui, mas creio na minha ressocialização com esta nova experiência. Sou muito grato!”, relatou.

O orador da turma, Luciano, de 38 anos, disse com toda certeza: “Vou construir minha casa, quando sair daqui. Agradeço a todos envolvidos por olharem por nós. A falta de oportunidades nos trouxe aqui, mas vamos sair e transformar nossas vidas”, disse se referindo a nova chance proporcionada pelo Fundo Social.

A presidente do Fundo Social, Samara Aguilar, reforçou a importância de cada formando acreditar no seu potencial e ser orgulho para a família, que em todo esse tempo aguarda pela sua saída. “Quando chegar o dia, mudem a história de vocês, não sejam estatísticas de reincidência, olhem e veja o quanto são capazes”, disse.

O prefeito Aguilar Junior destacou que não cabe ao Poder Público julgar ninguém e sim acolher, entender e dar oportunidades às pessoas, tratando todos de modo igual. “Poder proporcionar a mudança na vida das pessoas é muito bom. Agarrem esta chance, pois são privilegiados e vencedores desta etapa”, concluiu Aguilar Junior.

O projeto-piloto nunca antes ofertado no município prevê a ressocialização do detento após o cumprimento da pena. O objetivo da ação com o CDP é ofertar uma qualificação profissional para que voltem à sociedade com uma profissão digna e consigam se reestruturar financeiramente e honestamente.

Os reeducandos foram escolhidos por diversos critérios como, bom comportamento, disciplina, baixa periculosidade e por estarem próximos do cumprimento da pena, sendo ela branda. Uma das exigências do Fundo Social é que 90% dos alunos fossem moradores de Caraguatatuba.

A cerimônia também contou com a presença do diretor e da coordenadora do Senai, Antonio Carlos Pontieri e Ana Lucia Cursino; do diretor do CDP, Alan Carlos Scarabel; da defensora pública, Alessandra Pinho da Silva; do coordenador dos presídios do Vale do Paraíba e Litoral Norte, Nestor Colete; além de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Caraguatatuba, São Sebastião e Ubatuba, secretários municipais e familiares dos formandos.

Cursos – O Fundo Social também promove à população mensalmente cursos nas áreas de alimentos, automotiva, construção civil, eletroeletrônica, náutica e têxtil. As inscrições sempre são anunciadas por meio do site e facebook da Prefeitura de Caraguatatuba ou do Fundo Social: https://tinyurl.com/y4pvu4bx.

Serviço – Fundo Social de Solidariedade de Caraguatatuba: Rua José Damazo dos Santos, 39 – Centro, telefone: 3897-5656.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *