O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto se encontrou com o coordenador da Unidade de Gestão de Programa (UGP) do Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do Governo do Estado, Eduardo Velucci, e consultores do Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), durante visita ao Conjunto Habitacional no bairro do Jaraguá, Costa Norte do município. 

O Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar é fruto de cooperação entre o Governo do Estado de São Paulo e o BID. A vistoria ao conjunto habitacional, na manhã desta quarta-feira (14), foi acompanhada por Otávio Damiani, coordenador da equipe do BID, e também de Ana Beatriz, consultora do Banco Internacional, de salvaguardas sociais.

O prefeito Felipe Augusto aproveitou a ocasião da missão de salvaguardas do BID, para apresentar as obras de serviços sociais do Governo Municipal, que estão no entorno das famílias moradoras do conjunto habitacional. Eles conheceram as construções da nova creche do bairro, que terá capacidade para atender cerca de 200 alunos, e do ginásio poliesportivo – sendo feito com medidas oficiais e aptas a receber diversas competições.

Próximo ao conjunto habitacional, o prefeito sebastianense levou as comitivas do CDHU e do BID para conhecerem a Unidade de Saúde da Família (USF) do Jaraguá – responsável pelo atendimento de cerca de 1200 famílias, num total aproximado de 4.800 munícipes ao mês, e o Polo de Capacitação do Fundo Social, que oferece diversos cursos gratuitos de qualificação profissional.

O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto ressaltou o apoio da Prefeitura na manutenção e promoção de ação social à comunidade local. “Estamos realizando um trabalho de organização imobiliária e regularização fundiária em todo o município. Aos moradores do conjunto habitacional do Jaraguá, temos dado todo o apoio e assistência”, disse.

O conjunto habitacional do Jaraguá está inserido no Programa Serra do Mar, que é um programa de recuperação tanto social como ambiental, que tem como objetivo realocar moradores dos localizados em áreas de preservação ambiental ou áreas de risco nas encostas da serra. O trabalhado é feito juntamente com a comunidade, de forma a promover a conservação, o uso sustentável e a restauração ambiental do bioma Mata Atlântica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *