Prefeitura de São Sebastião mantém cidade monitorada contra o sarampo

Considerando a situação epidemiológica do sarampo no país, a Vigilância Epidemiológica de São Sebastião alerta a população sobre as medidas preventivas da doença.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil volta a enfrentar surtos de Sarampo em alguns estados como Amazonas, Roraima e São Paulo – a Secretaria Estadual de Saúde confirmou 384 casos de sarampo no estado de São Paulo de janeiro a 15 de julho deste ano.

Em São Sebastião a cobertura vacinal do Sarampo no ano de 2018 foi de 98%. Portanto é necessário manter os altos índices de cobertura vacinal com objetivo de conter o avanço da epidemia.

Com a volta da doença ao país, muitas dúvidas ressurgiram em relação à necessidade ou não da vacina e em qual circunstância ela deve ser administrada. Confira alguns esclarecimentos em relação à doença e vacina.

O que é?
O Sarampo é uma doença viral, infecciosa e transmissível, de notificação compulsória que o país tem como compromisso internacional de erradicar e eliminar. A transmissão pode ocorrer de forma direta, por meio de tosse, espirro, falar ou respirar e pode ser evitada por meio da vacinação. O vírus provoca manchas vermelhas no corpo, febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e pontos brancos na mucosa bucal.

Prevenção e Esquema Vacinal
A vacina tríplice viral é a medida de prevenção mais eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba. É importante que o esquema vacinal esteja completo e devidamente registrado em caderneta de vacinação.

Adolescentes e adultos jovens precisam de dose de reforço?
Consulte a carteira de vacinas. Quem fez duas doses está protegido. Quem fez apenas uma dose, mesmo quando pequeno, deve fazer mais uma dose de reforço agora.

Siglas na carteira de vacinas. Como saber qual é a vacina do sarampo?
A vacina do sarampo pode estar contida da sigla “scr” (sarampo, caxumba e rubéola); ou escrita como “tríplice viral” ou na sigla “scrv” (sarampo, caxumba, rubéola e varicela); ou escrita como “tetra viral” ou, para os mais antigos, como “mmr”, que é a sigla em inglês para sarampo, caxumba e rubéola.

Pessoas com mais com 60 anos ou mais podem tomar a vacina: não há limite de idade para a vacina do sarampo, mas considera-se que acima desta idade não há necessidade, pois existe uma grande chance das pessoas já estarem imunes, pois já tiveram contato com a doença no passado.

Quem não pode tomar a vacina do sarampo?
Gestantes, bebês menores de 6 meses de idade e pessoas com comprometimento do estado imunológico. Recomenda-se que estas últimas conversem com o médico.

Deixe um comentário