Sempre sorrindo e esbanjando simpatia, o lendário Hélio sempre apoiou a cultura e mais de 300 artistas já passaram pelo seu bar; e com isso há diversas histórias pitorescas entre Hélio, clientes e os artistas. Vale lembrar que o Chopp do Bar do Hélio foi considerado pela revista Veja-SP (Vejinha) um dos três melhores do estado e o melhor do eixo Rio-São Paulo, além das delícias da cozinha alemã. Um lugar extremamente eclético, com um bom chopp e comida sempre inovadora com um estilo voltado para os anos 1940.

Foto/ Adriana Ribeiro: Weber de Carvalho (TV Canal 20) e Hélio simpatia com todos

Diversos famosos já estiveram em seu estabelecimento como atores, humoristas e cantores como, Serginho, Jackson Antunes, Ary Fontoura, Roberto Bataglin, Valter Breda, Sílvio Brito, Mauricio Mattar, Nelson Freitas, Juca Chaves, Ronald Golias, Pedro Bismarck, Taumaturgo Ferreira, José Vasconcelos e Ary Toledo; as atrizes Rose Campos e Solange Couto, os músicos Jair Rodrigues e Maurício Manieri; a banda Falamansa e o Axé Blond; Elke Maravilha, Fabio Jr, Antônio Fagundes e filho, Saulo Laranjeiras, TV Vanguarda, Band Vale, Tarcísio Matheus entre outros.

Hélio apoia a cultura e sempre a valoriza na cidade e em qualquer região. Tarcísio Matheus, jornalista, apresentador e produtor cultural, foi adotado pelo Hélio, além de ser padrinho de sua filha Manoela. Sua relação com o jornalista é realmente de pai e filho e a admiração é muito grande, “o Tarcísio é como meu filho, competente, simpático, inteligente entre outras qualidades. Admiro muito seu trabalho e ele como pessoa”.

As histórias de Hélio com os artistas são inúmeras, começando pela de JerrY Adriani. “Nos anos 80 ele ia se apresentar em São José e a gente patrocinava, assim como patrocinamos até hoje aqui (litoral), em uma sexta-feira e a casa bombando, eu entrei correndo e mexi com o homem com uma camisa Lacoste e falei, olha que esse jacaré logo vai nadar. Cheguei à mesa de uns amigos e falei, gente fiquem mais um pouco que já já Jerry Adriani vai estar aqui. Aí eles me falaram, Hélião, você acabou de falar com ele e nem percebeu. Eu fiquei todo sem graça e fui consertar né. Falei, oi Jerry, então gosto da música tal que você canta, aí ele me responde, poxa Hélio, essa música é do Sérgio Reis, pensa em uma pessoa que não sabia onde enfiar a cara. Mas aí já tinha ido e ele muito simpático levou tudo numa boa”.

Certa vez ele ganhou da amiga Drª. Odacir de Brito de presente de aniversário, especialmente para cantar para ele, Elimar Santos e Cecília Militão.

Outra história que Hélio ama contar é a dele com o ator Otávio Augusto, “depois de uma peça que ele se apresentou na cidade, ficou tomando chopp no meu bar até as 1h da manhã, depois fomos para outro lugar e começamos a tomar uísque. Papo vem, papo vai, quando fomos ver chega o garçom e fala, então seu Hélio, nós estamos fechando. Aí eu respondi, poxa gente, ainda está escuro lá fora, quando ele abre a janela, um baita sol lá fora, já eram 7:30 da manhã, eu e o Otávio já tínhamos bebido a noite toda”.  

E não para por aí, também há uma história bem curiosa sobre o Golias, “nos anos 90, Golias era fumante, e fumava Hollywood. Seu genro morava em São José dos Campos, e o Golias de sexta-feira ia no meu bar, andava de havaianas, com seu jeito bem simplório. Ele andava com um saquinho, toda bituca de cigarro ele apagava no cinzeiro e levava a bituca”.

Mas nem tudo foi alegria na vida de Hélio, principalmente quando perdeu seu filho, ele até tentou se afastar do ramo, mas seu neto Gabriel foi sua maior motivação, “MC Serginho veio aqui, fazia 1 mês que meu filho tinha falecido, um período que foi muito difícil pra mim, contratei dois gerentes para ficar no meu lugar e tal, e ele me deu uma oração escrita em um papel que ele andava na carteira. Na época a Lacraia me falou que o Serginho nunca se desfez dessa oração, ele faz sempre antes de entrar nos shows e tal. E minha maior motivação foi meu netinho Gabriel”.

Heptacampeão do Caraguá a Gosto, onde em 11 eventos, ganhou sete vezes, ele fala seu segredo. “Primeiro de tudo, se empenhar com competência, trabalhar bastante e amar o que faz. Outro destaque é investir na mão de obra incentivando sempre seus funcionários e eu procuro fazer isso com meus garçons”.

SUA HISTÓRIA

Hélio Gomes, alagoano, resolveu vir para as terras paulistas na época da revolução de 1964. Aos 16 anos, decidiu que encontraria uma vida melhor sozinha e se estabeleceu em São Paulo.

O Bar do Hélio foi inaugurado em São José dos Campos em 18 de junho de 1996, com o propósito de se tornar a melhor choperia no Vale do Paraíba. Todo o projeto da construção do estabelecimento é de autoria do proprietário Hélio Gomes, que surpreendeu alguns arquitetos frequentadores do estabelecimento pelo seu requinte e bom gosto.

Trabalhou em São José dos Campos durante 25 anos. Foi proprietário do “Frangão”, a primeira galeteria do Vale do Paraíba. Depois, fiquei à frente do “Coelho e Cabrito”, nessa mesma cidade, além do “Bar do Hélio I” na Avenida Ademar de Barros e do “Bar do Hélio II”, na Avenida Nove de Julho.

Após vender os empreendimentos de São José dos Campos, Hélio estudava outro local para abrir um bar, mas de maneira que pudesse pensar em sua aposentadoria, pois precisava ter mais qualidade de vida. Pensou logo em Caraguá. Foi em maio de 2004 mudou para Caraguá para a instalação de um novo negócio: a Avenida Presidente Castelo Branco esquina com a Rua São José dos Campos, uma verdadeira coincidência de nome, já que viveu tantos anos em São José. No começo, alguns acharam que não daria certo, mas hoje todos conferem o resultado. Esse foi um dos primeiros bares da cidade que está na cidade até hoje.

O AMBIENTE

O Bar do Hélio conta com uma iluminação suave, combinando com a pintura das paredes em tom amarelado. O ambiente é muito arejado, ventiladores e exaustores.
As mesas, cadeiras, prateleiras e balcão são em estilo colonial com detalhes em mármore, relembrando os bares dos anos 40.
A decoração conta ainda com quadros de diversas marcas de cervejas e cigarros espalhados pelas paredes. Além de agradável som ambiente.

Bar do Hélio – O Chopp mais gelado de Caraguatatuba, além de almoços executivos de segunda a sábado, inclusive “A MELHOR FEIJOADA DO QUARTEIRÃO” todas quartas e sábados ainda tem pagode.

CARDÁPIO

Frango com Polenta

Virada Paulista

Feijoada

Vaca Atolada

Filé de Pescada

Feijoada com Pagode

O PÚBLICO

O público e grupos de frequentadores do estabelecimento é formado em sua maioria por pessoas de classe social média/alta, formada por estudantes universitários, médicos, arquitetos, administradores, executivos, estrangeiros que moram na cidade de Caraguatatuba, além de turistas de todas cidades que visitam Caraguá, profissionais liberais, inclusive estrangeiros que estão à passeio, entre outros. A faixa etária dos fregueses está contida entre 18 e 55 anos.

OS OBJETIVOS

O principal objetivo é prestar o melhor atendimento possível aos clientes. Veja agora, o que é o cliente na ótica de Hélio Gomes.

O cliente é a pessoa mais importante para esta empresa, seja pessoalmente, por telefone, ou correspondência.

O cliente não é dependente da nossa empresa, nós somos sempre dependentes deles.

O cliente não é uma interrupção no nosso trabalho, ele é o nosso propósito, nós não estamos fazendo um favor em servi-lo.

O cliente não é uma pessoa externa ao nosso negócio, ele é parte dele.

O cliente não é simplesmente uma fria estatística, ele é um ser humano de carne e osso, com sentimentos, emoções, como a nossa, com tendências e preconceitos.

O cliente não é alguém para discutirmos ou argumentarmos sua razão, ninguém nunca ganhou uma discussão com o cliente.

O cliente é uma pessoa que nos trás suas vontades, é nosso dever assegurar-lhe a sua lucratividade, bem como a nossa.

A moral dessa ótica é o cliente que mantém o sucesso do estabelecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *