Aluna com surdez participa de curso de Corte e Costura com acessibilidade na comunicação

O Fundo Social de Solidariedade de Caraguatatuba protagonizou na quarta-feira (19/09), a primeira aula a ter como integrante de um curso uma aluna com surdez. Para isso, a Prefeitura de Caraguatatuba disponibilizou uma intérprete de Libras da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Idoso (Sepedi).

A aluna Thais Melo Monteiro, de 27 anos, contou que devido ao recurso da interpretação de Libras, teve acesso simultâneo às informações e orientações, assim como as demais integrantes ouvintes da turma.

“Já manuseava em casa uma máquina de costura doméstica, mas minha grande expectativa era utilizar máquina industrial e me especializar para futuramente gerar renda. Estou bem animada”.

A intérprete Marcela Sugahara atuará integralmente na oficina de Corte e Costura para viabilizar a comunicação da aluna com a professora e as demais participantes do curso.

Marcela que também coordena o setor de Comunicação Inclusiva da Sepedi explica que essa interpretação é essencial para promover a acessibilidade na comunicação, visando o protagonismo e autonomia das pessoas surdas.

“Disponibilizando a interpretação da Libras nos serviços municipais, é que as pessoas com deficiências alcançarão seu espaço digno na sociedade”, destacou.

O secretário da Sepedi, Léo Macedo, ressaltou a importância do fortalecimento da parceria entre as secretarias para garantir o cumprimento dos direitos da pessoa com deficiência, previstos nas políticas públicas. “Esta parceria é fruto de uma gestão humanizada”.

Para a presidente do Fundo Social, Samara Aguilar, esta iniciativa irá motivar outras pessoas com deficiência a participarem dos projetos sociais. “Importante lembrar que nossos cursos são abertos a todos os públicos, desde que atendam aos critérios socioassistenciais”.

Deixe um comentário