Captura de abelhas volta a ser principal ocorrência atendida pela Defesa Civil em março

A captura de abelhas voltou a ser a principal ocorrência atendida pelas equipes da Defesa Civil de Caraguatatuba no mês de março. Ela também ficou no ranking no mês de fevereiro. Em 31 dias foram registradas 58 ocorrências, sendo 26 com abelhas, sete com marimbondos e uma com vespas.

Os outros registros foram de nove quedas de árvores, quatro vistorias no geral e uma de deslizamentos, além de 10 checagens feitas após recebimento de demanda via Canal 156.

O agente da Defesa Civil, Marcos Alves Medeiros, que tem curso de apicultor, explica que neste período mais quente a incidência é realmente maior com abelhas porque elas têm mais flores para coletarem a seiva, levarem para a colmeia e se movimentam mais.

 

“Paralelamente, a população também usa esse período de calor para fazer reformas em casa e acaba por encontrar mais colmeias”, esclarece.

Neste caso, a orientação é acionar a Defesa Civil pelo telefone 199 que a equipe vai até o local para fazer a remoção. Isso ocorre porque no Brasil as abelhas das espécies europeias e africanas foram introduzidas, mas são mais nocivas e agressivas. “Por isso a orientação é não tentar fazer a remoção sozinho”, alerta Medeiros.

Ele ainda explica que a rainha coloca uma media de 1.500 a 2 mil ovos por dia para manter as operárias trabalhando nas colmeias, até porque o ciclo de vida delas é de 45 dias entre o nascimento e a morte.

O coordenador municipal da Defesa Civil, capitão Campos Junior, explica que a meta é atuar sempre com a captura e não o extermínio.

Deixe uma resposta