Caraguatatuba registra oito casos de dengue e CCZ continua com ações de combate

Caraguatatuba registrou 8 casos positivos de dengue nos primeiros três meses desse ano, de acordo com balanço divulgado pela Secretaria de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica, nesta segunda-feira (29).

No mesmo período de 2020, a cidade contabilizou 274 casos, o que significa uma queda de 97% no número de casos de dengue comparando 2020 e 2021.

De acordo com o coordenador de controle da dengue e biólogo do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Ricardo Fernandes, a queda pode estar associada à pandemia da Covid-19, já que houve uma diminuição da circulação de pessoas contaminadas pela dengue. “Outras possibilidades, como o clima mais seco, ou até mesmo a subnotificação, podem influenciar nessa queda”, ressaltou.

As ações de combate à dengue também contribuem com a queda. Ricardo explicou que os agentes de controle da dengue trabalham com casos suspeitos e confirmados da doença continuamente, mesmo durante a pandemia. “Dessa forma é possível evitar um surto epidêmico de dengue junto à crise da Covid-19”, disse.

Ao longo dos primeiros meses de 2021, as equipes do controle de dengue já realizaram bloqueios mecânicos, que incluem a eliminação de criadouros, colocação de barreiras e gerenciamento de materiais para prevenir o acúmulo de água em recipientes, e nebulização nos bairros: Praia das Palmeiras, Jetuba, Pontal Santamarina, Poiares e Perequê-Mirim.

O CCZ continua realizando ações de combate à dengue na cidade. Na segunda-feira (29), os agentes realizaram vistorias na Martim de Sá. Hoje (30), os bairros Porto Novo e Caputera recebem o bloqueio mecânico.

Nesta quarta-feira (31), o CCZ realiza a nebulização no Caputera. A ferramenta é eficaz e capaz de eliminar mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, em sua fase adulta.

Deixe um comentário