Polícia Ambiental apreende galos em situação de maus tratos usados em rinha de Ilhabela

Durante a Operação Lost Island realizada na quarta-feira (29/06), em Ilhabela, que culminou com a prisão de seis pessoas por tráfico de drogas, a Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes, encontrou no bairro do Itaquanduba, na ilha, oito galos em situação de maus tratos, que eram usados em “rinha de galo”.

Os policiais civis solicitaram a ajuda da Polícia Ambiental. Os maus tratos foram confirmados por um laudo da veterinária do Centro de Referência Animal de Ilhabela. Os galos estavam acondicionados em condições insalubres, local incompatível com o tamanho das aves e vários apresentavam ferimentos pelo corpo.

Um galo estava cego de um olho, possivelmente, por ter recebido a bicada de outro galo, durante a rinha. Foram localizados também medicamento antibiótico para ministrar aos animais devido as lesões e uma bolsa, contendo petrechos utilizados para realização de “Rinha de Galo”, como biqueira, bucha, capa de pernas, capa de cabeça, rebolo para o ringue, entre outros.

Na residência, também foram localizadas quatro aves silvestres nativas acondicionadas em gaiolas individuais sem as devidas autorizações, entre elas, uma ave silvestre nativa do nordeste (galo de campina).

Um dos indivíduos se apresentou como responsável dos animais e os policiais ambientais elaboraram autos de infrações ambientais para o infrator por ter em cativeiro aves silvestres sem as devidas autorizações, por introduzir ave silvestre fora de sua área de distribuição, sem parecer técnico (galo de campina) e maus tratos a animais (galos), com multa no valor total de R$ 28.700,00 reais.

Os pássaros foram destinados ao CETAS/Animália e os galos serão destinados em data oportuna para um local adequado.  O homem responsável pelas aves foi encaminhado até a delegacia de polícia de Ilhabela e permanece à disposição da justiça.

Deixe um comentário