Polícia Militar Ambiental autua madeireiras no Litoral Norte

Policiais militares da 3ª Companhia de Polícia Militar Ambiental Terrestre do 3° Batalhão de Policiamento Ambiental do Estado de São Paulo, durante a “Operação Madeireira”, realizaram fiscalização em diversas empresas nos municípios de Caraguatatuba, São Sebastião e Ubatuba, nesta quarta-feira (02/9).

Duas madeireiras sendo uma em Caraguatatuba e outra em São Sebastião teve seus pátios bloqueados por 15 dias, por não apresentarem o material organizado para fiscalização, os militares conferem se a quantidade e o tipo da madeira descritos no Documento de Origem Florestal (DOF) batem com o material lenhoso armazenado no pátio da madeireira.

Fotos: Policiamento Ambiental

Uma madeireira em Ubatuba foi autuada pelos policiais ambientais por possuir material florestal em desacordo com o apresentado no DOF, ficando com o pátio bloqueado até a regularização junto ao órgão competente e multa no valor de R$ 4.167,43.

É importante destacar que as ações de controle e fiscalização acontecem dentro de um contexto maior, que prevê estratégias para fomentar a legalidade em toda a cadeia madeireira, desde a floresta até o ponto de venda.

A iniciativa tem como objetivo coibir o uso da madeira de origem ilegal ou desconhecida e promover a utilização do produto com origem legal

A atividade de exploração ilegal da madeira contribui de maneira relevante para o desmatamento, sobretudo na região amazônica. A utilização de madeira de origem legal é fundamental para auxiliar a contenção das degradações ambientais, além de propiciar um modelo de desenvolvimento que leva em consideração as futuras gerações.

Deixe uma resposta