Prefeitura de Ubatuba inaugura novas instalações do CAPS I e CAPS-AD

Unidades oferecem ambiente humanizado, com conforto e tranquilidade para pacientes

A Prefeitura de Ubatuba realizou na tarde desta quinta-feira, 13, a cerimônia oficial de inauguração das sedes do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) I Irineia de Oliveira e do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD) Paulo Romero.

As duas unidades ficam na Estufa II, na mesma rua, em frente ao Fórum de Ubatuba. O CAPS I fica na rua dos Três Poderes, n. 51, e o CAPS-AD na rua dos Três Poderes, n. 121, e atendem os pacientes no horário das 8h às 17h. A rua dos Três Poderes é travessa da rua Sergio Lucindo da Silva.

As novas construções integram o programa “Saúde em Ação”, do governo do estado de São Paulo. Elas foram erguidas com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do governo estadual e correspondem a um investimento total de cerca de R$ 6,5 milhões de reais.

Com mais espaço e instalações modernizadas, os novos edifícios permitem oferecer um ambiente tranquilo, confortável e adequado tanto para os pacientes quanto para a equipe de trabalho, possibilitando maior humanização do atendimento”, explica o prefeito Délcio Sato.

Tanto o CAPS I quanto o CAPS-AD antes ficavam em imóveis alugados e com pouco espaço para o atendimento. Os novos prédios contam com quartos de enfermaria, várias salas amplas, espaços interativos, cozinha industrial para a terapia com aulas de culinária, consultórios grandes, área externa onde os pacientes fazem horta, além de sala onde semanalmente acontecem as sessões de cinema com roda de conversa.

O paciente tem tudo ali para ser atendido com dignidade, ser bem tratado e reconhecido como um ser humano. Trabalhamos muito com grupos na saúde mental e é importante para o paciente ver que ele não é único, que há outros na mesma situação e que é possível se fortalecer mutuamente em grupo”, explica Olivia Samersla, diretora de supervisão de Saúde Especializada.

Na pandemia da Covid-19, os atendimentos continuaram por telefone e por vídeo, como é o caso do atendimento a crianças autistas, e pessoalmente com atendimento previamente agendado. Da mesma maneira, foram retomadas os grupos e oficinas terapêuticas só que com um número menor, de no máximo três pacientes em ambiente amplo.

Além da equipe técnica dos CAPS I e do CAPS-AD, participaram da atividade autoridades municipais, os vereadores pastor Claudinei, Rochinha do Basquete, Wellington de Moura e Osmar de Souza.

Especifidades dos CAPS

Os CAPS I e Álcool e Drogas contam com equipe de 30 profissionais de múltiplos saberes: enfermeiras, médicos psiquiatras, médico clínico geral, psicólogos, psicóloga infantojuvenil, terapeutas ocupacionais, fonoaudióloga, assistentes sociais, monitores de oficina e equipe administrativa. O CAPS atende pessoas com transtornos psiquiátricos graves, entre outros. Já o CAPS-AD oferece atendimento multidisciplinar a adolescentes e adultos dependentes de álcool, tabaco e outros químicos bem como a seus familiares, chamados de co-dependentes.

Somente entre janeiro e abril de 2020, as duas unidades realizaram um total de 3.436 procedimentos. As equipes também realizam visitas domiciliares e interagem diretamente com a Estratégia Saúde da Família (ESF) com ações de matriciamento (formação) e ações de construção de saberes, bem como de prevenção de suicídio e empoderamento dos pacientes psiquiátricos, ressaltando a lei da reforma psiquiátrica, que defende a autonomia, tratamento humanizado e liberdade aos portadores de doenças psíquicas. O objetivo é que o paciente psiquiátrico seja inserido na sociedade. Há parcerias também com alguns empresários da região que empregam os pacientes.

Fotos:PMU

Referência de atendimento humanizado

Irinéia de Oliveira, que dá nome ao CAPS I, foi paciente do centro por longos anos. Era muito conhecida em Ubatuba e querida pela equipe de saúde mental e munícipes. Ela participava regularmente das oficinas terapêuticas. Em uma ocasião, Neinha desapareceu e chegou a um hospital no Rio de Janeiro e, sem saber dar informações sobre onde morava, ela falou para a equipe do hospital ligar para o CAPS de Ubatuba que eles saberiam informar. “Nesse momento percebemos que o CAPS era uma forte referência para a Neinha, um local onde ela sabia que podia pedir ajuda e ser ajudada, um local de reconhecimento da sua importância como ser humano e sua referência de tratamento”, contou a enfermeira Olivia, que lembrou também que 13 de agosto marca o dia do psiquiatra.

Já Paulo Romero, que dá nome ao CAPS-AD, foi um morador da cidade que enfrentava dificuldades relacionadas a dependência de álcool, que interferiam em sua vida pessoal e familiar. Ele foi o fundador do Grupo Reviver, primeiro grupo de Alcoólicos Anônimos (AA) de Ubatuba, que existe até hoje, inclusive com o mesmo nome. Para Romero, não existia outro nome, outra denominação ou outra definição de uma vida livre da dependência senão o nome “Reviver”, o CAPS AD compartilha dessa definição tão única do Sr. Paulo Romero: uma nova vida, novas oportunidades, novos inícios, Renascimento e Reviver! A família de Romero esteve presente na cerimônia representada pela viúva, Geny Romero, a filha Manoela Romero e o filho Ibyapara Romero.

Serviços

Rua Sergio Lucindo da Silva, 101, esquina com av. Três Poderes – Estufa II – 3832-7206 ou 3832-5431. Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.

Deixe um comentário