Sindpetro fornecerá gasolina a R$ 4,40 para motoboys de Caraguatatuba

Motoristas e entregadores por aplicativos poderão comprar gasolina mais barata nesta quinta-feira (25/11), nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Amazonas. O Observatório Social da Petrobrás (OSP) e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) vão vender o combustível a R$ 4,40 o litro. O valor chega a ser 35% mais barato do que os preços de mercado. Na semana de 14 a 20 de novembro, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o litro da gasolina era comercializado, em média, a R$ 6,75 em postos de abastecimento do país.

A ação solidária, batizada de “Dia Nacional da Gasolina sem PPI”, será realizada pelos sindicatos que compõem a FNP, nas cidades paulistas de São José dos Campos, Santos e Caraguatatuba, em Angra dos Reis (RJ) e Manaus (AM). No total, serão comercializados 12 mil litros de gasolina. Os motoristas vão adquirir cupons, com a quantidade de combustível determinada, que serão trocados por gasolina nos postos parceiros, indicados por cada sindicato.

Caraguatatuba: O cadastro para fornecimento dos cupons em Caraguatatuba acontece a partir das 9h em uma tenda ao lado do Auto Posto Britânia, na Rua Álvaro Theodoro da Cruz, 415, Jardim Britânia. Serão disponibilizados 3 mil litros de gasolina. Cada voucher é limitado a 9 litros do combustível. A ação é direcionada a entregadores de moto por app e motoboys.

Valor de importação
A ação é mais uma iniciativa da campanha “Petrobrás para os brasileiros”, que chama a atenção da população para o PPI (Preço de Paridade de Importação), a política que o governo e a Petrobrás estabeleceram para definir os valores dos combustíveis. “Hoje, produzimos cerca de 80% de todo combustível consumido no Brasil e importamos 20%. Mas, em função do PPI, 100% do combustível é tratado como se fosse importado”, afirma Adaedson Costa, secretário geral da FNP.

O PPI é alinhado aos preços do mercado internacional e define os valores dos combustíveis com base na variação cambial e do barril de petróleo. “O PPI é o vilão dos preços altos e não os impostos estaduais, como tenta convencer o discurso do governo federal. Essa política é a principal responsável pelo maior preço real da história da gasolina, do diesel e do gás de cozinha no Brasil”, destaca o dirigente.

Sem o PPI, a gasolina poderia ser vendida no país a R$ 4,40. Esse valor é resultado do levantamento do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais (Ibeps) para o OSP, baseado na análise dos custos reais de produção nacional, mantendo o lucro das distribuidoras, revendedoras e da Petrobrás.

Deixe um comentário