CBH-LN propõe oficina para a integração de ações na temporada de verão frente à pandemia da Covid-19

O encontro ocorre dia 30 de outubro com a participaçãodos governos municipais e estadual, instituições públicas e sociedade civil, visando integrar ações para reduzir os impactos socioambientais na região

 O Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte (CBH-LN) realizou na última quarta-feira, 7, a live ‘Verão 20-21 e a Covid-19’ com o objetivo de apresentar dados e promover reflexões sobre os problemas decorrentes do aumento populacional no litoral norte de São Paulo, frente aos riscos da COVID-19 e lançar um importante manifesto sobre o tema. Participaram do encontro virtual, Semíramis Biasoli, do FunBEA, Jociani Debeni Festa, do CBH-LN, Bruna Gandufe da Prefeitura Municipal de Caraguatatuba, Rosa Maria Mancini da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SIMA) e Mônica de Toledo e Silva Spegiorin, representando a sociedade civil.

O lançamento do manifesto integra as ações do curso EAD Cuidadores das Águas, realizado pelo FunBEA – Fundo Brasileiro de Educação Ambiental, responsável pelo Programa de Comunicação Social do CBH-LN

No próximo dia 30 de outubro, uma nova etapa de mobilização está prevista, tendo como meta unir instituições públicas e privadas e sociedade civil para desenvolver, integrar e dar ampla visibilidade a ações de preservação do meio ambiente e de proteção à população, através de oficinas temáticas relacionadas aos problemas mais preocupantes para a próxima temporada 20/21. “A intenção é dar visibilidade a esse gravíssimo contexto, além de promover a integração com o poder público, juntamente com a participação, organização e integração da sociedade civil, que clama por ações efetivas, criativas e alternativas de proteção ao nosso território, à comunidade local e de assistência à toda a população que se deslocar para os municípios litorâneos”, aponta Mônica de Toledo e Silva Spegiorin, representante da sociedade civil.

Cenário

O aumento populacional no litoral norte é uma realidade que vem acontecendo desde o início desta década. Segundo dados publicados pelo IBGE, a média de crescimento populacional nos municípios da região é de 20% entre 2010 e 2019. Além disso, o litoral norte é um dos destinos mais procurados por turistas durante o verão. Com as medidas de controle da pandemia da COVID-19, como as aulas suspensas nas escolas e trabalhos realizados de maneira virtual, nota-se um maior tempo de permanência dos visitantes que costumavam a frequentar a região apenas nos finais de semana. Esse fenômeno crescente com a pandemia teve seu momento mais representativo, no feriado de 7 de setembro, quando ocorreu uma explosão de turistas e veranistas que lotaram as praias dos municípios, sem preocupação ou cuidado com o isolamento social, em uma região que já apresenta déficit de infraestrutura de saneamento, saúde e mobilidade.

Bruna Gandufe, da Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca de Caraguatatuba, relata que, nesse feriado contabilizando a coleta de resíduos sólidos dos dias 7 a 10 de setembro – são os dias onde a coleta abrange o território como um todo – a geração de resíduos aumentou quase 68% em relação ao ano anterior no município, atingindo 667 toneladas, enquanto que em 2019, foram 456. “Em toda a temporada de 2019/2020, o lixo produzido atingiu mais de 2 mil toneladas nos meses normais e desde o início da pandemia, com as pessoas em casa, já é possível registrar um significativo crescimento na produção de resíduos, trazendo muita preocupação para o Verão 20-21”, aponta.

Oficina ‘Verão 20-21 e a Covid-19’

Rosa Maria Mancini (SIMA) cita que, o ambiente frágil do litoral norte é fortemente impactado no período do verão, devido ao enorme crescimento de fluxos de pessoas, recursos, mercadorias, veículos, lixo e doenças. “Com a Covid-19, a região sofrerá ainda mais pressão em um cenário já muito tenso e denso, resultante da insuficiente infraestrutura, criando uma situação perigosa, caso novas ações e medidas não forem adotadas”, enfatiza.

O próximo encontro virtual, no dia 30 de outubro, acontecerá das 9h às 13h.  “A oficina contará com debates, análise de dados e levantamento de estratégias para mobilizar e integrar os poderes executivo, legislativo e judiciário, em nível municipal e estadual, juntamente com a iniciativa privada, a academia e diversos setores da sociedade civil organizada, como associações, redes, coletivos e movimentos ambientalistas que já realizam importantes ações em seus territórios para reduzir os impactos socioambientais desse afluxo de pessoas na próxima temporada Verão 20/21, em meio à pandemia”, cita Semíramis Biasoli (FunBEA).

“Nosso objetivo é mobilizar instituições e ações que já estão previstas, valorizar o papel da sociedade civil organizada e buscar o fortalecimento dos setores público e privado, no enfrentamento da situação”, afirma Jociani Debeni Festa, secretária executiva adjunta do CBH-LN.

Inscreva-se aqui: https://forms.gle/zK9HNm5adZoQ2HZY6

Deixe uma resposta