Homem que tentou matar ex-esposa com 18 facadas em Caraguatatuba é condenado a 10 anos de prisão

O crime aconteceu no bairro do Perequê-Mirim em Janeiro de 2020. A denúncia do MP apontou que a tentativa de homicídio era por motivo fútil.

Terminou na tarde desta terça-feira (02) na sala do Júri no Fórum de Caraguatatuba, o julgamento do homem acusado de tentar assassinar a ex-esposa. O crime foi registrado em Janeiro de 2020 no bairro do Perequê-Mirim, em Caraguatatuba. A mulher foi atraída para o local após o filho do casal gravar uma mensagem para à mãe encontrar o acusado para, supostamente conversar sobre a venda de um imóvel.

Os dois tiveram um relacionamento por 11 anos, período marcado por uma postura abusiva do acusado contra a mulher, com agressões físicas e psicológicas. A vítima já estava separada dele há 4 meses. Ela também conseguiu na justiça medidas protetivas que foram concedidas em julho de 2019, envolvendo obrigação de afastar do lar e proibição de contato e de aproximação.

No dia do crime a vítima ainda estava com o filho mais novo e a filha mais velha. Após uma discussão com acusado a mulher chegou a mostrar a medida protetiva para não ser agredida, mas ela foi atacada com golpes de faca na frente dos filhos. Mesmo correndo para a rua, ela foi atingida 18 vezes. As agressões só pararam com a interferência de vizinhos que acionaram a Polícia Militar. Após o acusado fugir do local, a mulher foi atendida por uma equipe do Samu e sobreviveu graças à atuação dos profissionais da saúde.

De acordo com a denúncia apresentada pelo promotor de Justiça Rodrigo Lúcio dos Santos Borges, o homem que violou medidas protetivas e tentou matar a ex-companheira foi condenado a dez anos e cinco meses de prisão em regime fechado. Ele não poderá recorrer em liberdade. A sentença foi publicada em sessão do Tribunal do Júri na última terça-feira (2/8). O Júri teve atuação do promotor de Justiça Renato Queiroz de Lima. A defesa dele informou durante o juri que vai recorrer.

Deixe um comentário