Instituto Argonauta realiza a soltura de duas aves marinhas ao seu habitat natural

Em junho, foram resgatados e reabilitados indivíduos de duas espécies diferentes de trinta-réis em Ubatuba, Litoral Norte de São Paulo

O Instituto Argonauta realizou a soltura de dois indivíduos de diferentes espécies de trinta-réis (Sterna hirundinacea e Thalasseus acuflavidus) no mês de junho em Ubatuba, Litoral Norte de São Paulo. O trinta-réis-de-bico-vermelho (S. hirundinacea), foi resgatado pela equipe do Projeto de Monitoramento de Praias (PMP-BS) após acionamento por moradores.

Apesar de um comportamento ativo, apresentava incapacidade de voo, sendo atendido inicialmente na Unidade de Estabilização (UE) de São Sebastião, onde foi constatado, durante o atendimento médico veterinário, que o animal estava desidratado, com baixo peso corporal e uma lesão na pata direita. Depois de estabilizada, a ave foi transferida para o Centro de Reabilitação e Despetrolização (CRD) de Ubatuba, no dia 22 de junho, para dar continuidade ao tratamento.

Depois de passar por reabilitação, aves foram devolvidas à natureza em Ubatuba/Fotos-Instituto Argonauta

Já o trinta-réis-de-bando (T. acuflavidus) foi resgatado na Ilha do Prumirim, em Ubatuba. Este, por sua vez, apresentava paralisia das patas, sinais de intoxicação e peso corporal também baixo. As duas aves marinhas passaram por tratamentos de hidratação, desintoxicação, fisioterapia e foram juntas devolvidas à natureza, na praia do Perequê-Açu em Ubatuba neste último fim de semana.

Os trinta-reis-de-bando são aves encontradas em toda a costa brasileira, e, como o próprio nome sugere, andam em grandes bandos, inclusive com outras espécies de trinta-réis. Já os trinta-réis-de- bico-vermelho, também conhecidos como Andorinhas do mar, são encontrados na região Sul e Sudeste do Brasil e hoje são considerados animais vulneráveis à extinção.

 

Deixe uma resposta