Motoristas de aplicativo reclamam que estão tendo corridas canceladas após ‘fake news’ de estupro de mulheres em Caraguá

No final de semana áudios que circularam nos grupos de WhatsApp confirmavam que ao menos três mulheres tinham sido vitimas de um motorista de aplicativo em Caraguatatuba.

Em outro áudio, uma das vítimas conseguiu fugir no bairro Martim de Sá e chamar a Policia Militar. A equipe de apuração do ROL foi atrás e descobriu que nenhum dos mais de 20 áudios com cerca de 50 minutos não tinham veracidade, eram todos ‘fake news’ ou seja, notícia falsa. Ouça um dos áudios “fake news”. 

Ainda durante apuração do ROL nenhuma ocorrência relacionada à violência sexual (estupro ou tentativa de estupro) foi registrado na delegacia.

O ROL foi procurado por motoristas de aplicativo que contaram estar tendo prejuízo depois dos áudios, um deles até contou que trabalha a noite para complementar a renda, mas confessa estar com medo, “eu fui pegar a passageira no Perequê-Mirim e fui abordado por dois homens que me perguntou se eu estava sabendo que tem um cara com veículo prata de aplicativo estuprando as mulheres na cidade. Eu percebi que eles estavam falando aquilo pela cor do veículo, mas contei que não tinha nada haver com isso e só estava fazendo meu trabalho”. Contou.

Depois da falsa informação de estupro de mulheres por um motorista de aplicativo, os verdadeiros profissionais contam que estão tendo várias corridas canceladas minutos antes de chegar ao destino. “Quando a pessoa percebe que é um veículo prata cancela a corrida. Com um outro colega também aconteceu à mesma coisa, chegando ao destino à passageira cancelou no aplicativo”. Contou.

Os motoristas fazem um desabafo afirmando que a GCM já apreendeu o veículo Hyundai/HB20 de cor prata da cidade de Belo Horizonte (MG), e as Forças de Segurança estão empenhadas em prender o homem que conduzia o veículo e é suspeito de tentativa de estupro na Costa Sul de São Sebastião. “Só queremos trabalhar e continuar prestando sempre um serviço de excelência para nossos passageiros e por fim, pagar ás contas”, finalizou.

Atenção! Divulgar Fake News é um ato muito perigoso. Compartilhar informações falsas, fotos, áudios e vídeos manipuladores e publicações duvidosas pode trazer riscos. Não compartilhe!

Deixe um comentário