Santa Casa é referência em atendimento para acidentes com animais peçonhentos

A Santa Casa de Ubatuba é o ponto de referência no município para atendimentos de pessoas que sofrem algum acidente com animais peçonhentos e precisam de tratamento com soros específicos, que combatem as toxinas de animais e microrganismos. Em casos de picadas de cobra, escorpião, aranha entre outros animais que produzem substâncias tóxicas, o atendimento médico deve ser priorizado no hospital.

A Secretaria Municipal de Saúde explica que quando houver acidente com animais peçonhentos, o paciente passará por avaliação médica de urgência e realizará em seguida alguns exames que são critérios para a tomada de decisão sobre a aplicação ou não do soro específico para a picada de cada bicho. O setor ressalta ainda sobre a importância de buscar saber qual animal causou o acidente para agilizar os primeiros atendimentos.

“A Santa Casa de Ubatuba é o nosso ponto de referência para a administração dos soros. Mas também precisamos lembrar que nem todo acidente com animais peçonhentos precisa da aplicação de soros, em cada caso é preciso seguir os critérios estabelecidos em protocolo federal e estadual”, esclareceu o secretário de Saúde, Dr. Danilo Bargieri.

O médico informa ainda que para acidentes antirrábicos, o atendimento para avaliação e prescrição de vacina, e se necessário o soro, pode ser feito em todos os serviços de saúde, porém, a administração do soro é feita somente na Santa Casa.

Acidente por escorpião

O veneno do escorpião pode causar alterações locais e sistêmicas, sendo que na maioria dos casos, a gravidade do envenenamento se manifesta dentro das duas primeiras horas do acidente, sendo mais grave em crianças de 0 a 10 anos e em idosos. A dor costuma ser intensa e os sintomas variam de acordo com a quantidade de veneno inoculada e a massa corporal da vítima. O local da picada às vezes fica vermelho, pode inchar e apresentar suor. Também é comum excesso de saliva, vômito e aumento da respiração e batimentos cardíacos.

Limpar o local da picada com água e sabão e aplicar compressa morna podem aliviar a dor, no entanto, é essencial buscar por atendimento de forma rápida e, se possível, capturar o animal e prendê-lo em um pote com tampa. É importante não espremer o local da picada, nem colocar gelo e tampouco fazer curativos.

Os escorpiões costumam aparecer com maior frequência nos meses mais quentes e úmidos, como de outubro a março, mas os acidentes tornaram-se uma preocupação durante todos os meses do ano.

Para combater a proliferação de escorpiões é necessário evitar o acúmulo de entulho e lixo. Usar telas em ralos e janelas e fechar frestas e vãos diminuem as chances de um escorpião entrar nas residências. Também é importante afastar camas e berços das paredes, evitar que lençóis e cobertores encostem no chão e sacudir roupas e sapatos antes de usá-los, pois os bichos podem se esconder e picar ao serem comprimidos contra o corpo.

Em casos de surgimento e proliferação de escorpiões, entrar em contato com a Vigilância Ambiental pelo telefone (12) 3832-6810.

Deixe um comentário