Secretaria de Assistência Social visita Comunidades Tradicionais de Ubatuba

Nesta semana, a secretaria de Assistência Social realiza uma serie de visitas às Comunidades Tradicionais de Ubatuba. Ao todo, serão três encontros com aldeias indígenas e quatro com comunidades quilombolas, com o objetivo de ouvir as demandas e reivindicações, apresentar os serviços e programas oferecidos pelo município e discutir novos projetos a serem implementados.

Aldeia Rio Bonito

As rodas de conversa com as comunidades tiveram início na segunda-feira, 17, com visita à Aldeia Rio Bonito, que fica em Itamambuca. O secretário de Assistência Social, acompanhado da coordenadora do Centro de Referência da Assistência Social – Cras Centro, a assistente social Sarah Rodrigues, do técnico de referência para as comunidades tradicionais, o sociólogo Uirá Freitas e da coordenadora de Trabalho e Renda da pasta, Priscilla Patricio, foi recebido pela representante da liderança da aldeia, Ivanildes Pereira.

A Aldeia Rio Bonito, de etnia Guarani M’byá, tem 13 famílias e a principal fonte de renda é o artesanato, embora tenham um trabalho organizado com base na agricultura de subsistência com o cultivo de milho, mandioca, batata doce, banana, palmito e outros.

Foi definido que o Cras terá uma agenda periódica junto à aldeia para atendimentos e acompanhamentos necessários.

“Também colocamos o nosso setor de documentação, trabalho e renda à disposição da aldeia.

Esse encontro gerou algumas demandas, tais como a reconstrução da ponte (tratativa que já está em andamento), a criação de um Centro Cultural Indígena e o fortalecimento do Turismo de Base Comunitária. Já estamos programando uma visita futura com as áreas envolvidas para análise e encaminhamento das ações”, garantiu Cândido.

Quilombo do Camburi

Já na manhã de terça-feira, 18, o encontro aconteceu no Centro Comunitário do Camburi. A comunidade foi representada pela presidenta da Associação do Quilombo do Camburi, Queli Lúcio, a presidenta da Associação de Moradores e Amigos do Camburi (AMAC), Dayeli Soares e o articulador do Fórum das Comunidades Tradicionais, Santiago Bernardes. Pela Prefeitura, somaram-se à equipe o secretário adjunto da pasta, Anderson Paiva, o presidente da Emdurb, Josué Gulli e a assessora de desenvolvimento social, Thaila Brito, que representou a prefeita.

Na oportunidade, além das demandas e programas, também foram discutidas a retomada do Conselho Municipal das Comunidades Quilombolas e a construção coletiva do programa municipal para as Comunidades Quilombolas.

Os representantes solicitaram mais informações sobre os serviços disponibilizados e comemoraram o compromisso da realização de encontros periódicos com a equipe técnica do Cras em seu território, bem como, os novos programas a serem implementados.

O representante do Fórum das Comunidades Tradicionais também apresentou as demandas do segmento, que envolvem diferentes áreas de governo e comentou sobre a proposta de criação do Conselho Municipal das Comunidades Tradicionais, de modo que seja ampliada a participação, contemplando, também, representantes indígenas e caiçaras.

“Em breve, faremos encontros intersetoriais para acolhimento das demandas apresentadas. As reuniões que estamos promovendo têm sido bastante participativas e produtivas”, avaliou Cândido. “O fortalecimento das comunidades tradicionais de Ubatuba é um compromisso da gestão da prefeita Flavia Pascoal”, acrescentou o secretário, que destacou, ainda, a importância das políticas públicas estarem acessíveis às populações desses territórios.

Deixe um comentário