Defesa Civil aponta que acumulado de chuvas em Caraguatatuba ultrapassa os 100 mm em 72 horas; Prefeitura trabalha em diversos pontos da cidade

Levantamento da Defesa Civil de Caraguatatuba aponta que nas últimas 72 horas choveu mais de 100mm na maioria das estações pluviométricas instaladas no município. Conforme a Defesa Civil do Estado, a previsão de chuvas para todo o mês de outubro é de 233,2mm, mas até o momento já caíram 176,9, o que representa 74% do esperado para todo o período.

Dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) apontam que na Tabatinga, região norte, é onde houve o maior volume de chuvas, com registro às 10h20, desta quarta-feira, de 160,34 mm. No Rio do Ouro o volume acumulado foi de 143.08mm, enquanto no Jardim Casa Branca chegou a 142.91mm.

Os pluviômetros do Tabatinga2, Tinga, Massaguaçu 1 e 2, Indaiá, Martim de Sá e Jetuba  também ultrapassaram a barreira dos 100 mm. Somente no Porto Novo e Jardim Casa Branca 2 o acumulando ficou abaixo de 100 mm no período apurado.

Desde o início das chuvas, na semana passada, as equipes da Prefeitura – Defesa Civil, Secretarias de Mobilidade Urbana e Proteção ao Cidadão, Obras Públicas e Serviços Públicos – monitoram as áreas de risco para deslizamento de terra e alagamento.

Na Olaria, houve necessidade de isolamento de uma casa de madeirite onde aconteceu deslizamento de terra. “No local haviam bananeiras que desceram a encosta”, explica o coordenador da Defesa Civil de Caraguatatuba, Capitão Campos Junior. Ele disse ainda que a moradora teria saído ainda durante a madrugada, sem necessidade de remoção.

Nesta quarta-feira houve queda de uma árvore no Jardim Casa Branca que atingiu uma casa que estava mais abaixo no platô, mas sem afetar os moradores. Apenas a parte do fundo foi isolada. “A Jaqueira será retirada quando o solo estiver mais seco”, explica o coordenador da Defesa Civil.

Prevenção e monitoramento

As equipes da Secretaria de Serviços Públicos (Sesep) intensificam os trabalhos durante o período chuvoso, principalmente com serviços de desassoreamento de rios, valas e córregos e desobstrução de bueiros. A ação permite o melhor escoamento das águas pluviais e evita alagamentos.

Segundo a Sesep, até o momento a região sul não identificou pontos com grande volume de água ou alagamentos. O trabalho de limpeza de ruas e de rios realizado durante todo o ano e a implantação dos canais de drenagem permitiu que as fortes chuvas não causassem danos aos moradores até agora.

Neste ano, já foram feitas mais de 3,4 mil ações de limpeza urbana, roçada, capina, varrição e recolha de resíduos, além de 176 serviços de limpeza de bueiros; 297 limpeza nos canais de drenagem, valas, rios e córregos; 261 tapa buracos e 137 ações de terraplenagem, manutenção de ruas rurais e ruas de terras.

Outro serviço realizado frequentemente que possibilita a prevenção de enchentes é a retirada de resíduos em vias públicas. Todos os dias, a Sesep faz o recolhimento, principalmente de materiais descartados irregularmente por moradores. O descarte irregular faz com que os resíduos sejam levados para rios e córregos, entupindo bueiros e causando inundações.

A Fazenda Serramar, responsável por receber e distribuir ás águas dos rios Juqueriquerê, Pau d’Alho e Comburu, também recebeu vistoria preventiva nesta manhã.

Na região norte as equipes já realizaram a abertura da Lagoa Azul e do Rio Cocanha para auxiliar na extravasão da água dos bairros próximos. As valas que passam por trás do Residencial Jetuba também foram desassoreadas em ação preventiva.

Na região central os rios que cortam a cidade estão recebendo monitoramento frequente do volume pluviométrico: Rio Ipiranguinha, que recebe toda água dos bairros Casa Branca e Olaria, Rio Guaxinduba e Rio do Ouro. Os locais são limpos durante todo ano, evitando acúmulo de resíduos e areia.

Ainda nas ruas do centro foram feitas desobstrução de tubulação na Avenida Siqueira Campos e troca de tubos de drenagem na Rua Dr. Paul Harris, evitando afundamento do solo e acúmulo de águas.

Para atender as demandas e realizar as ações, a Sesep trabalha com o auxílio de quatro escavadeiras hidráulicas (PC) e 12 retroescavadeiras. Parte dos monitoramentos e atendimentos está sendo realizado com o apoio e acompanhamento da Defesa Civil.

Deixe um comentário