Merendeiras dispensadas de escolas municipais de Caraguá, reclamam que direitos trabalhistas não estão sendo respeitados pela Convida

Merendeiras que trabalhavam para a Empresa Convida, responsável pela merenda escolar na rede municipal de Caraguatatuba, estão preocupadas que alguns diretos trabalhistas durante homologação que está sendo realizada na empresa, não estão sendo respeitados.  As cozinheiras contam que após homologação, elas recebem um papel para dar entrada no FGTS, porém no banco são informadas que não consta nenhum depositado.

Uma outra merendeira contou que trabalhou 3 ano e 7 messes, e durante a homologação só recebeu R$1.000,00.  As ex-funcionárias também contam que a empresa não depositou os 40% da rescisão do FGTS.

Nossa equipe mandou a reclamação para a Prefeitura de Caraguatatuba, que questionou a empresa sobre as reclamações das cozinheiras. A empresa enviou uma nota.

“Com relação os questionamentos das funcionárias, nós fizemos tudo dentro da legalidade com base no art. 501 da CLT. Porém neste momento devido ao grande número de demissões, que não foi apenas em Caraguatatuba, não será possível realizar atendimento via telefone dada a complexidade da explicação. Assim, nas homologações que ocorrerão na próxima semana, será explicado a cada funcionária os termos em que fizemos as demissões e os motivos dos valores. Espero que esse momento passe logo e assim que as aulas forem retomadas e a ordem de serviço for emitida, iremos recontratar estas funcionárias novamente”.  Finalizou a nota.

Na manhã desta terça-feira (28/04), um grupo de merendeiras estiveram na frente da sede da empresa na Avenida, Anchieta, região Central da cidade, afim de obter esclarecimentos sobre as homologações, porém ninguém sem respostas.

Deixe um comentário