Prefeitura de Ilhabela recebe auto de inspeção da Cetesb e recebe elogios pelo tratamento do passivo

Ilhabela foi é o único município do Litoral Norte que trata do seu nocivo

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) realizou na semana passada, uma inspeção no Aterro Municipal, onde elogiaram o município pelo tratamento do passivo. A inspeção, que é uma ação feita de forma
inesperada e garantindo assim a veracidade do trabalho apresentado a Cetesb.

O documento oficial da Cetesb deixou o seguinte relato em seu registro de órgão fiscalizador: “Nesta data vistoriamos a área do antigo aterro municipal, onde são recebidos e destinados juntamente com o passivo existente, os restos de podas, e RCC (resíduos de construção civil). Constatou-se visualmente a redução do passivo, onde foi vistoriado o transbordo municipal e resíduos sólidos urbanos para avaliação ao índice de qualidade de transbordo. A situação permanece semelhante a última vistoria realizada em setembro de 2020; onde constatou-se umectação do viário para emissão de podas”.

Para o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Hipólito “O resultado alcançado é fruto do envolvimento no trabalho de toda a equipe da pasta e revela a seriedade no enfrentamento do problema. Esses resultados nos colocam na vanguarda, mas não paramos por aí”. O secretário refere-se à contratação de uma Fundação, a FDTE, para auxiliar nos trabalhos de licenciamento e encerramento das atividades no local, que se somam aos já realizados, e tornam Ilhabela um dos únicos municípios do país a cuidarem de seus antigos locais de disposição final dos resíduos.

Ilhabela é o único dos municípios do Litoral Norte que trata do seu passivo em relação ao antigo vazadouro municipal.  Nos lixões, os resíduos são depositados em aterros a céu aberto sem nenhum controle ambiental ou tratamento. Como o terreno dos lixões não é impermeabilizado, o chorume se infiltra no solo e contamina o lençol
freático, com efeitos nocivos sobre a água, a flora e a fauna.

Deixe um comentário